Revista Educação e Linguagens, Vol. 3, No 4 (2014)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

NEGOCIAÇÃO E OPRESSÃO: OS SUJEITOS DO ENTRE-LUGAR EM “SELVA TRÁGICA”

Lourdes Kaminski Alves, Tallyssa Izabella Machado Sirino

Resumo


A narrativa de “Selva Trágica” (2011), de Hernâni Donato, é situada na fronteira Brasil-Paraguai, ao sudeste do atual Mato Grosso do Sul, e, num híbrido de romance e relato, narra a saga de personagens oprimidos pela Companhia Mate Laranjeira, empresa de exploração de erva-mate, que possuía o monopólio dos ervais brasileiros e paraguaios e recrutava trabalhadores de ambos os lados da fronteira para que trabalhassem em regime semi-escravo enquanto interessasse à Companhia. Considera-se, para os fins deste estudo, que a opressão imposta suprimia também as identidades e valores nacionais das personagens, sem considerar a hibridez daquele espaço, de forma que às personagens não restava outra escolha senão negociar as diferenças e que esta negociação se dava, principalmente, por meio da linguagem. Nesse sentido, este artigo visa refletir sobre a negociação das identidades e valores culturais nacionais decorrentes da opressão sofrida pelos personagens advindos destes dois países diferentes – Brasil e Paraguai –, o que torna o espaço diegético um entre-lugar, conforme proposto por HomiBhabha (2010).


Texto Completo: PDF