Revista de Geografia, Meio Ambiente e Ensino, Vol. 2, No 1 (2011)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

A RELAÇÃO ENTRE O DESMATAMENTO E A INCIDÊNCIA DE LEISHMANIOSE NO MUNICÍPIO DE MESQUITA, RJ

Renata RUFINO AMARO

Resumo


A Leishmaniose Tegumentar Americana é uma doença decorrente do parasitismo por protozoários, que afeta o homem e outros mamíferos silvestres. Trata-se de uma doença infecciosa com ampla distribuição no continente americano, transmitida pela picada da fêmea de um inseto, o flebotomíneo, que possui vários gêneros. Neste estudo faremos referência ao gênero Lutzomyia intermedia, principal vetor da Leishmaniose no município de Mesquita, Estado do Rio de Janeiro. O processo de transmissão da doença pode se diferenciar de acordo com alguns fatores, dentre estes a localização geográfica. De acordo com estudos, a transmissão da Leishmaniose no município de Mesquita pode estar relacionada às ações de desmatamento ocorridas em parte da vegetação que constitui o Maciço do Mendanha, local onde está assentado parte do município em questão. Isso porque os flebotomíneos, vetores em potencial da Leishmaniose, tinham inicialmente o ambiente de floresta como seu habitat e, a partir do momento em que o homem desmata uma área para expansão dos limites urbanos, geralmente para construir habitações, os mamíferos silvestres das proximidades morrem ou migram, deixando os flebotomíneos sem suas fontes alimentares naturais. Em consequência, o inseto vai buscar no ambiente doméstico o alimento necessário para a sua sobrevivência, levando consigo o protozoário e dessa forma o homem passa a servir de alimento para o flebótomo, sendo pois acometido pela doença.

Texto Completo: PDF