Revista de Geografia, Meio Ambiente e Ensino, Vol. 4, No 1 (2013)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

O USO DE ESPÉCIES VEGETAIS NATIVAS PARA A RECUPERAÇÃO DE ÁREA DEGRADADA NO CAMPUS UVARANAS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA, PONTA GROSSA - PR

Juliano Strachulski, Edson Struminski

Resumo


O presente estudo procede em um fragmento de vegetação natural secundária, pertencendo à formação fitogeográfica Estepe Gramíneo-Lenhosa (EGL) e caracterizando-se como um fragmento típico da Floresta Ombrófila Mista (FOM), localizado no Campus Uvaranas da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Ponta Grossa – PR. A área estudada possui 3.126 m², sendo oriunda do sub-bosque de um reflorestamento com Eucalyptus sp anteriormente removido. Sendo que o objetivo do presente estudo foi inserir espécies vegetais nativas a fim de recuperar esta área degradada de vegetação natural secundária no Campus Uvaranas da UEPG. Para tanto, a metodologia contou com várias técnicas como repicagem, semeadura, plantio de espécies arbóreas nativas, além de tratos silviculturais. Em relação ao plantio, foram
abertas covas de aproximadamente 30x30 cm, com espaçamento de 5 metros de distância de uma cova para outra. Foram plantadas ao todo 328 mudas desde o início dos trabalhos, restando 248, ou seja, 75,6% dos indivíduos. Das 248 mudas apenas 45 ou 18,1% apresentam boa qualidade, ou seja, apresentam condições de superar as gramíneas na competição pela luz e tornarem-se árvores adultas, destacando-se a Mimosa scabrella, Schinus terebhintifolius, Luehea divaricata, Parapiptadenia rígida e Vitex megapotamica. Estas espécies obtiveram sua melhor evolução sob áreas abertas e de forma dispersa. Contudo, o baixo número de espécies nativas plantadas que apresentaram boas condições fitossanitárias mostra a importância da manutenção dos trabalhos na referida área.

Texto Completo: PDF